terça-feira, 6 de agosto de 2013

Quíron



Quíron é um asteroide, descoberto em 1977, cuja órbita situa-se entre Saturno e Urano que leva 50 anos para completar sua órbita ao redor do Sol.
Atualmente Quíron transita no signo de Peixes desde de fevereiro de 2012 ficando até março de 2019. Sua orbita eclíptica faz com que ele tem uma duração variável em cada signo.
Quíron representa o curador, o ferido, o agressor.

Na mitologia

 

Quíron (em grego: Χείρων, transl. Kheíron, "mão"), na mitologia grega, era um centauro, considerado superior por seus próprios pares. Ao contrário do resto dos centauros que, como os sátiros, eram notórios por serem bebedores contumazes e indisciplinados, Quíron era inteligente, civilizado e bondoso e célebre por seu conhecimento e habilidade com a medicina.
Segundo o mito, Quíron é filho de Saturno (Cronos) e da ninfa Filira. O deus, para se esconder da esposa Réia, se metamorfoseou em cavalo para se encontrar com Filira: dessa união nasceu o centauro, metade cavalo e metade homem. Quando a mãe viu a criatura horrorosa que havia posto no mundo, pediu aos deuses que a transformassem numa coisa diferente:  seu pedido foi atendido, e ela foi transformada numa árvore chamada Tília.
Abandonado, Quíron foi encontrado por Apolo, que o criou como pai adotivo e lhe ensinou todos os seus conhecimentos: artes, música, poesia, ética, filosofia, artes divinatórias e profecias, terapias curativas e ciência. Grande curandeiro, astrólogo e um respeitado oráculo, Quíron era tido como o último dos centauros, e altamente reverenciado como professor e tutor.
Sua nobreza também se reflete na história que narra sua morte: Prometeu havia roubado o fogo dos deuses e dado para os homens, tendo sido, por isso, castigado por Zeus, que expressou que só o libertaria se um imortal abrisse mão de sua imortalidade e fosse para o Hades (reino subterrâneo, inferno) em seu lugar.  Com pena de Prometeu e de Quíron, Hércules propôs a Zeus que soltasse Prometeu, pois Quíron faria isso: Zeus concordou, liberando Quíron de seu sofrimento, para morrer tranquilamente. O deus o homenageou, colocando-o no céu como a constelação de Sagitário (sagitta: flecha)

Na Astrologia

Quíron, no tema natal, mostra-nos as coisas que temos a capacidade de fazer para os outros, mas que não podemos fazer por nós mesmos. Qualidades que outros facilmente percebem em nós, mas que não podemos ver. Muitas vezes são coisas de que necessitamos para nosso próprio crescimento e cura, mas que nos escapam e passam para os outros.
A área onde Quíron se encontra indica onde fatos dolorosos repetitivos, assim como erros repetitivos, porém o ponto onde a alma se detém em um padrão de posturas e comportamentos repetitivos e dolorosos, é justamente o ponto onde podemos atingir uma libertação, uma independência filosófica; e ainda, é onde deveremos estar sempre atentos a essa área mesmo já curada. Quíron estará mostrando ali os valores pelos quais deverá se pautar em seu relativo livre-arbítrio.
A casa na qual se encontra Quíron representa uma área de vida que inicialmente é bloqueada, ou ferida, ou que não consegue ser vivenciada em sua plenitude. A dor e a frustração que experimentamos nessas áreas podem nos impelir a iniciar uma jornada interna de cura, através do signo em que se encontra Quíron. Os planetas em aspecto com Quíron revelam sobre o tipo de experiência pelo qual devemos passar, e assim fortalecimento (conjunção), proteção (sextil), enfrentar (quadratura), motivar (trígono), confronto que pode gerar crescimento (oposição).
No signo em que se encontra Quíron indica que: em Áries, a busca da identidade; em Touro, a busca de valores no plano material; em Gêmeos, uma crise pessoal com respeito à integração aqui na Terra, que afeta grandemente o equilíbrio e o sistema nervoso; em Câncer, uma crise relativa a raízes culturais e/ou uma crise de proteção pessoal (o indivíduo se sente preso ao passado); em Leão, uma grande crise do ego, que irá aperfeiçoar gradualmente o nativo, até a maestria da vontade; em Virgem, a busca de uma re-sintonia com a dinâmica da cura (inclusive interior); em Libra, a busca do equilíbrio do eu em relação ao outro; em Escorpião, uma crise de morte/transformação ou uma escolha significativa de viver, relacionada com os temas da Casa que contém Quíron; em Sagitário, uma crise relativa à integração do Eu Superior na consciência da pessoa; em Capricórnio, uma crise kármica em relação ao êxito na busca e ao equilíbrio na vida, entre o sucesso e a subsistência normal; em Aquário, uma crise quanto a estar fundamentado, quanto a viver na Terra de um modo equilibrado; em Peixes, uma crise a respeito de unir-se com a força divina, a unicidade universal. (Barbara Hand Clow - Ponte de Ligação entre os Planetas Interiores e Exteriores).
A astróloga australiana Candy Hillenbrand resume num ótimo artigo a respeito de Quíron:
“O significado psico-espiritual do mito de Quíron continua a evoluir, e já se escreveu bastante a respeito dele. Geralmente descrito como ‘O curador ferido’, Quíron é um princípio arquetípico com o qual muitos astrólogos e terapeutas têm se identificado, e aplicado no trabalho com clientes. Em Astrologia, o Quíron natal pode ser encarado como um indicador da ‘ferida quirônica’ ou ‘ferida psíquica’, representando problemas (ou danos) psico-emocionais não-resolvidos, provenientes de traumas na infância ou de experiências subsequentes – problemas que, muitas vezes conscientemente acessíveis, mas frequentemente reprimidos ou até ‘dissociados’, ainda gritam por remissão e cura. Muitas vezes a ferida psíquica é interpretada como um ‘dom oculto’, que age como um estímulo para a descoberta de si mesmo. Mas mais frequentemente se considera que as energias de Quíron propiciam o conflito do ego e a desilusão com uma onipotência ilusória, conduzindo para uma percepção transpessoal, transcendência e crescimento psico-espiritual (ou auto-transformação).”
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...